segunda-feira, 15 de março de 2010

Soneto de Orgulho ( ou Defesa)


Trago no peito um orgulho;
Que me causa problema;
E trago nesse chato poema;
Um jeito de explicar tudo.

Não perdoar, é mesquinho;
Mas , pior seria chorar;
E por isso prefiro ficar;
Com meu orgulho, e sozinho.

Dizem que é impossivel;
Viver só, e sorrindo;
Mas não ligo, acostumei.

Nunca fui bom de perdão;
Vivo só com meu defeito;
E por quanto tempo, não sei.

2 comentários:

Jeh Pagliai disse...

Adorei o poema.
Muito bonitinho...

Beijinhos

---
www.jehjeh.com :D

AMÉRICO, Tassyane disse...

"Nunca fui bom de perdão;
Vivo só com meu defeito;
E por quanto tempo, não sei."

é invrível como nesse mundo relativamente grande eu encontre, depois de tanto tempo escrevendo, alguém que escreve com transparência algo que me indentifique tanto. Parabéns pelos poemas, são claros e muito bem vistos.

Postar um comentário